quinta-feira, 15 de julho de 2010

Entregues os gentios a reprováveis sentimentos
E por haverem desprezado o conhecimento de Deus; o próprio Deus os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem coisas incovenientes, cheios de toda injustiça, malícia, avareza e maldade; possuídos de inveja, homicídio contenda, dolo e malignidade;sendo
difamadores,caluniadores,aborrecidos de Deus, insolentes, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais, Insensatos, pérfidos sem afeição natural e sem misericórdia. Ora
, conhecendo eles a sentença de Deus, de que são passíveis de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que assim procedem.
2- Portanto, és indesculpável, o homem quando julgas, quem quer que seja; porque, no que julgas a outro, a ti mesmo te condenas; pois pratica as próprias coisas que condena.
Bem sabemos que o juizo de Deus é segundo a verdade contra os que praticam tais coisas. Tu, ó homem, que condenas os praticam tais coisas e fazes as mesmas, pensas que te livrarás do juízo de Deus? ou desprezas a riqueza da sua bondade, e tolerância, e longanimidade? Mas, segundo a tua dureza e coração impenitente, acumulas contra ti mesmo ira e da revelação do justo juízo de Deus, que retribuirá a cada um segundo o seu procedimento: a vida eterna aos que, perseverando em fazer o bem, procuram a glória, honra e incorruptibilidade; mas ira e indignação aos facciosos, que desobedecerem á verdade injustiça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário